Saiba tudo sobre os melasmas

Saiba tudo sobre os melasmas



O melasma é uma hiperpigmentação adquirida da pele que ocorre em áreas expostas ao sol, principalmente na face. Ele apresenta manchas simétricas de tonalidade variável, de marrom a marrom-acinzentada. Acomete regiões malares, lábio superior, mento e região frontal e, menos frequentemente, membros superiores e colo. A melanina é produzida pelos melanócitos. Estas células são responsáveis pelas diferentes cores de pele e contêm uma enzima chamada tirosinase, responsável diretamente pela produção da melanina. O melasma é uma alteração da função do melanócito, em que este produz melanina exagerada e desordenadamente. Afeta mais frequentemente as mulheres, mas também pode ser vista em homens.

Quais as causas?

Não há uma causa definida, mas muitas vezes esta condição está relacionada ao uso de anticoncepcionais femininos, à gravidez e, principalmente, à exposição solar. Além disso, os Melasmas podem estar ligados a condições genéticas.

Quais os sintomas?

Primeiramente, é importante destacar que os melasmas são de caráter predominantemente estético, sem nenhum outro problema de saúde associado. Manchas escuras ou acastanhadas começam a aparecer na face, principalmente nas maçãs do rosto, testa, nariz e no buço. Ocasionalmente ocorre o melasma extra facial, com aparecimento das manchas escuras nos braços, pescoço e colo. As manchas têm formatos irregulares e bem definidos, sendo geralmente simétricas. Muitas vezes, as pessoas com melasma podem agravar a condição com um tratamento ou procedimento inadequado, ocorrendo piora importante das manchas. 

Existem tipos diferentes de Melasma?

Tomando como base a distribuição de melanina na mancha escurecida, o melasma pode ser classificado nos seguintes tipos:

Epidérmico – Quando depósito de melanina concentra-se na epiderme, camada protetora e superficial da pele, em contato direto com o exterior;

Dérmico – Quando a mancha de melanina atinge a derme, camada intermediária da pele, localizada entre a epiderme e a hipoderme, e é composta por diversos tecidos com diferentes funções. Por exemplo, vasos sanguíneos, glândulas sebáceas e sudoríparas, terminações nervosas.

Misto – Quando o depósito de melanina afeta tanto a derme quanto a epiderme.

Existe prevenção?

A maior prevenção para o melasma é a proteção solar. As medidas de proteção devem ser realizadas diariamente, mesmo que o dia estiver nublado ou chuvoso. Além disso, recomenda-se que o protetor solar seja reaplicado ao longo do dia.

E quanto ao tratamento? Existe? Quais são?

É possível tratar o melasma, mas os cuidados com os raios ultravioleta e à luz visível devem ser redobrados e o uso de cosméticos que evitem a produção exagerada de melanina, (chamados inibidores da tirosinase) são essenciais. Dentre os procedimentos mais realizados estão os peelings e aplicações de luzes ou lasers. É importante salientar, que o tratamento prevê um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte, que devem ser seguidos por toda a vida. A seguir alguns dos procedimentos indicados:

Fotoproteção: O ponto de partida para que o tratamento tenha efeito é a proteção contra os raios solares. As pessoas diagnosticadas com melasma devem aplicar um filtro solar potente, físico e químico, com FPS alto nas regiões afetadas. Em especial, procurar por filtros que tenham proteções contra os raios ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB). O conceito atual do tratamento de melasma considera que o uso de filtros ajuda a estabilizar os benefícios obtidos com o conjunto de medidas descritas aqui.

Cosméticos: Para ajudar na remoção das manchas, os mais usados são à base de vitamina C, que tem ação clareadora e não é sensível á luz, evitando o efeito rebote. Os resultados demoram cerca de 30dias para começar a aparecer. Não é um método que funciona com todos os pacientes. Mesmo com resultados rápidos, o tempo necessário para estabilizar a condição e impedir que o pigmento retorno (efeito rebote) pode ser de muitos meses ou anos. Assim, o conceito principal é que pacientes com esta condição necessitam tratamento e fotoproteção constante.

Peelings: Pode clarear a pele de forma gradual e até mais rapidamente do que os cremes. Existem diversos tipos de peelings, alguns mais superficiais e outros que atingem camadas mais profundas da pele. Apenas uma avaliação criteriosa, de profissional experiente garante a indicação certa para cada tipo de mancha. 

Laser e Luz Intensa Pulsada: Há algumas formas de energia luminosa que podem ajudar no conjunto de medidas para clarear o melasma. Esta modalidade de tratamento deve ser feita com cuidado para não gerar mais pigmentação, motivo pelo qual deve ser realizada por um profissional habituado às fontes de energia luminosa.

Deseja saber mais sobre os tratamentos de melasmas?

Agende uma consulta conosco! Envie mensagem no whats para (51)98487-2283 ou ligue no (51) 3459-2283!